Resenha: O Ano do Dilúvio de Margaret Atwood – O segundo da trilogia Maddaddão

Segundo livro da trilogia Maddaddão, da escritora Margaret Atwood, O Ano do Dilúvio não é a continuação de Oryx e Crake. É, na verdade, um livro independente que pode ser lido antes mesmo do seu antecessor. Alguns acontecimentos se conectam no fim dos dois livros. Algumas surpresas que são reveladas no primeiro livro fazem parte do contexto do segundo. Na minha opinião os dois livros fazem parte de um todo e poderiam estar juntos em uma edição só. A premissa é a mesma: uma pandemia destruiu a humanidade e a história de alguns dos sobreviventes é narrada.

Margaret Atwood por Tim Walker para The Sunday Times Style magazine

Oryx e Crake explica a origem da pandemia e se passa em um lugar mais privilegiado: dentro dos complexos. O Ano do Dilúvio mostra a vida na plebelândia (nome dado a vida fora dos complexos), dentro de uma seita religiosa chamada Jardineiros de Deus. Aqui Margaret volta a explorar a religiosidade, como vez em O Conto de Aia, mas de uma maneira completamente diferente. A religião dos jardineiros é voltada para a ecologia e eles vivem da forma mais natural possível, fugindo dos padrões sociais vigentes nesse futuro distópico, com seus próprios cânticos, deuses e estilo de vida. Eles acreditavam que um dilúvio seco destruirá a humanidade, e foi exatamente que aconteceu.

O tempo é marcado pelos anos que a seita existe, o ano 1 foi o ano de sua criação, o ano 25 foi o ano do dilúvio/apocalipse. A história é narrada do ponto de vista de duas personagens, Toby e Ren, ex-jardineiras que sobreviveram a pandemia, à partir do ano 10.

Em comparação a Oryx e Crake a narrativa do O Ano do Dilúvio é mais lenta. Um livro com uma escrita bem simples mas com conteúdo denso. Relacionamentos, violência, abuso sexual, são envoltos em uma ironia que beira ao humor ácido. É assustador como vemos nossa sociedade atual refletida nesse livro. Margaret Atwood sempre diz que tudo que está nesse livro existe, de alguma forma, hoje em dia.

2 Replies to “Resenha: O Ano do Dilúvio de Margaret Atwood – O segundo da trilogia Maddaddão”

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: