Resenha: Temporada de Furacões de Fernanda Melchor

A narrativa instigante de Temporada de Furacões é para ser lida em um fôlego só. Com frases gigantesca que não terminam onde deveriam, o livro, na minha visão, é uma mescla de nomes importantes da literatura como Virginia Woolf e Gabo. Cito a Virginia porque o fluxo de consciência é feito com maestria e me fez entrar dentro da cabeça dos personagens, que vivem em uma vila pobre do México chamada La Matosa, onde a violência fala mais alto do que o bom convívio entre os habitantes. Cito o Gabriel García Márquez porque a vila onde se passa Temporada de Furacões me levou até Macondo.

A narrativa é cheia de incômodos e inicia com um corpo putrefato na beira do rio. Esse corpo pertence a Bruxa, um travesti, ou seria uma mulher trans? Não sabemos ao certo pois sua mãe a criou como menina desde sempre. Esse é um dos pontos muito interessantes no livro pois descobrimos isso apenas na metade da narrativa. A Bruxa é filha de uma mulher que era a “bruxa” antes dela e as duas tiveram uma vida muito sofrida apesar de sempre ajudarem quem pedia. Elas tinham o conhecimento das ervas o que era muito útil para os habitantes da região que muitas vezes abusavam delas.

Por ser muito conhecida, a morte da Bruxa abala a cidade. A partir daí conhecemos a subjetividade dos personagens que estavam próximos a ela. Cada capítulo descobrimos uma voz narrativa diferente, com suas peculiaridades e vontades. A rudez das pessoas que vivem ali é clara, assim como brutalidade que os personagens carregam. Para mim pareceu que os personagens estavam sob testemunho contando cada passo que deram até a descoberta da morte da Bruxa (e depois) e o que viram nesse caminho. 

O machismo, a violência (tanto verbal quanto física), a falta de cuidado uns com os outros, as drogas e o sexo, são constantes e comum na vida de cada um desses personagens que reproduzem o que sempre viram. Exceto apenas por Luismi que parece mais doce do que os outros, mas pode ser pelo fato dele estar sempre chapado. De qualquer forma, não podemos dizer que os personagens são bons ou ruins, todos eles são complexos e bem construídos, parecem pessoas reais, que são filhas do seu meio.

A homossexualidade também é um tema presente no livro e o modo como os personagens lidam com isso me surpreenderam, as vontades estão em camadas e muitos dos personagens usam isso para afirmar sua masculinidade. O livro também nos mostra, com o personagem Brando, como a vontade de afeto para com o mesmo sexo é reprimida deixando espaço apenas ao carnal. Além disso, o afeto é uma das grandes faltas para os personagens do livro e acredito que a maioria deles desejam isso, de acordo com várias passagens, e isso fica evidente quando conhecemos Norma.

Ao todo, eu achei o livro muito interessante, tanto na temática quanto na forma. A linguagem e a construção de frases são usadas para rasgar alguma coisa dentro da gente, mas mesmo assim não queria parar de ler. A forma me prendeu (deve ser porque sou uma grande fã de Virginia Woolf e não me deparo com livros escritos dessa forma com frequência), assim como a narrativa escrita em camadas e recheadas de descobertas que me fez caminhar até o fim em poucos dias.

2 Replies to “Resenha: Temporada de Furacões de Fernanda Melchor”

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: